18 de junho de 2010

Saramago (1922 - 2010)



" Oculta consciência de não ser,
Ou de ser num estar que me transcende,
Numa rede de presenças
E ausências,
Numa fuga para o ponto de partida:
Um perto que é tão longe,
Um longe aqui.
Uma ânsia de estar e de temer
A semente que de ser se surpreende,
As pedras que repetem as cadências
Da onda sempre nova e repetida
Que neste espaço curvo vem de ti."
 
Poema de José Saramago

2 comentários:

Noah disse...

Oi Ana,
Estava procurando material sobre ele quando vi este teu post.
Ele era amigo do Luis Fernando Veríssimo e esteve várias vezes em Porto alegre.
Jinh♥

Nossa, olha só que incrível, a palavra de confirmação deste comentário é apolo...

Anónimo disse...

um poeta é um sabio
de alma jovem.

nao evelhece com o tempo.
renasce.

a cada manha lá está ele,
jovem sonhador.
imortal em seus poemas.
criança em seus poemas.

a morte nao o vence.
ele recita em seus poemas,
quando parti.
fica.
a saudade
a lembrança.
de um poeta,eterno em letras,
eterno em um livro.
em um gesto.

valeu saramago.