27 de abril de 2010

As Maias de 1 de Maio

"Hoje em dia ainda é possível observar em algumas zonas do nosso país, a colocação de ramos de giestas em flor, ou até mesmo coroas feitas de ramos de giestas, conjuntamente com outras flores e enfeites coloridos, nas portas e janelas das casas ou nos automóveis, na noite de 30 de Abril para 1 de Maio."


"A origem da tradição das Maias perde-se no tempo e pode ter várias explicações. Segundo alguns, a Maia era uma boneca de palha de centeio, em torno do qual havia danças toda a noite do primeiro dia de Maio. Por vezes, podia ser também uma menina de vestido branco coroada com flores, sentada num trono florido e venerada, todo o dia, com danças e cantares. Esta festa, de reminiscências pagãs, foi proibida várias vezes, como aconteceu em Lisboa no ano de 1402, por Carta Régia de 14 de Agosto, onde se determinava aos Juízes e à Câmara "que impusessem as maiores penalidades a quem cantasse Mayas ou Janeiras e outras coisas contra a ley de Deus...". Ainda segundo outros, o nome do mês de Maio terá tido origem em Maia, mãe de Mercúrio, e a ele está ligado o costume de enfeitar as janelas com flores amarelas.




Seja como for, todos estes rituais pagãos estavam ligados ao rito da fertilidade para com o novo ciclo da natureza, à celebração da Primavera ou ao início de um novo ano agrícola. Mais tarde, houve necessidade de lhe incutir algum sentido religioso, promovendo a sua ligação à Festa da Santa Cruz ou ao Corpo de Deus. Esse facto pode justificar a lenda do Alto Minho, segundo a qual Herodes soube que a Sagrada Família, na sua fuga para o Egipto, pernoitaria numa certa aldeia. Para garantir que conseguiria eliminar o Menino Jesus, Herodes dispunha-se a mandar matar todas as crianças. Perante a possibilidade de um tão significativo morticínio, foi informado, por um outro "Judas", que tal poderia ser evitado, bastando para isso, que ele próprio colocasse um ramo de giesta florida na casa onde se encontrava a Sagrada Família, constituindo um sinal para que os soldados a procurassem e consumassem o crime... A proposta do "Judas" foi aceite e Herodes tratou de mandar os seus soldados à procura da tal casa. Qual não foi o espanto dos soldados quando, na manhã seguinte, encontraram todas as casas da aldeia com ramos de giesta florida à porta, gorando-se, assim, a possibilidade do Menino Jesus, ser morto."


"De um modo geral, o cenário das várias celebrações cíclicas compreende cerimónias de véspera. A colocação de giestas faz-se no dia 30 de Abril para que as casas estejam floridas no momento em que começa o dia, para o «Maio», o «Carrapato» ou o «Burro» não entrarem. O «Maio» ou o «Burro» são entidades nocivas, cujo malefício se pretende conjurar com uma oposição de flores ou a manducação de certas espécies."
in http://www.portugal-on-line.com/usos-e-costumes-f22/festa-das-maias-t471.htm


As Maias são uma tradição particularmente "presente" nas regiões do Alto Minho e da Beira Litoral. E quem visita estas regiões no dia 1 de Maio, pode encantar-se com um espectáculo de giestas em portas, janelas e carros por todo o lado!


E obviamente, sendo eu beirã do litoral, já tenho as giestas prontinhas para adornar portas e janelas na noite de 30 de Abril para 1 de Maio.:-) Este ano, num projecto conjunto com a minha filhota, decidimos "inovar" a nossa Maia e fizemos uma em feltro à qual juntaremos ramos de giesta para darmos as boasvindas ao Dia das Maias.



25 de abril de 2010

25 de Abril



"A revolução que começa o povo acaba-a um ditador;
a que começa um ditador acaba-a o povo."

Jacinto Benavente y Martinez

23 de abril de 2010

Cervantes e Shakespeare


A 23 de Abril de 1616, falecia em Madrid, Miguel de Cervantes, representante máximo das Letras da língua castelhana. Romancista, dramaturgo e poeta, a obra mais conhecida deste grande homem de letras é "O engenhoso fidalgo Dom Quixote de La Mancha" cujo enredo se centra sobre as aventuras e desventuras de Quixote: pobre mas nobre fidaldo de Mancha, aventureiro, defensor dos injustiçados e sonhador.



"Quando se sonha sózinho é apenas um sonho.
Quando se sonha juntos é o começo da realidade."
in "O engenhoso fidaldo Dom Quixote de La Mancha)"



Dez dias mais tarde, 23 de Abril no calendário gregoriano ( 3 de Maio no calendário juliano), morre em Inglaterra, William Shakespeare, poeta e dramaturgo, cujo legado literário é de uma riqueza extraordinária. As suas obras mais conhecidas são os eternos "Romeu e Julieta" e  "Hamlet".

"Conhece-te a ti próprio. Não dês ouvidos a rumores Nem ajas ou fales sem pensar primeiro; Sê acessível, simples mas sem vulgaridade; Aos amigos, após experimentados, Aceita-os, prende-os com arpões de aço, Mas não dês primeiro a mão em demasia A qualquer estoirado camarada. Evita, teme Questionar, mas, se entrares em luta Que saias com o teu opositor temendo-te a ti. Atende toda a gente, mas pensa por ti; Aceita censuras, mas reserva a tua opinião. (...)- O hábito, sabes, faz o monge." 
in "Hamlet"



Para terminar este post, ficam aqui transcritas as palavras da jornalista freelancer Sara Figueiredo Costa,“Mais do que a morte, aqui conta uma certa ideia de imortalidade; apesar dos anseios de posteridade de quase todos os escritores, o tempo confirma que a durabilidade, em literatura, não é um feito alcançável por muitos, e tanto Shakespeare como Cervantes o conseguiram”

Bom fim de semana e boas leituras!

21 de abril de 2010

TERRA


". . . on April 22, 1970, Earth Day was held, one of the most
remarkable happenings in the history of democracy. . . "
-American Heritage Magazine, Oct 1993
 

"Quarenta anos após o primeiro Dia Mundial da Terra, o mundo está em maior perigo do que nunca. Embora a alteração climática seja o maior desafio do nosso tempo, ela também representa a maior oportunidade - uma oportunidade sem precedentes para construir um futuro saudável, próspero e limpo."
in www.earthday.net (tradução livre)


A Terra é de todos e para todos! Mas precisa que cuidem dela para que possa cuidar de nós! Em casa, no emprego, na rua ... temos que fazer um esforço para passarmos das palavras às acções concretas! A mudança climática está a acontecer a um ritmo impensável há poucas décadas atrás! Podemos estar a hipotecar o futuro próximo do nosso Planeta se não tornarmos a educação ambiental princípio obrigatório na vida de todos.

Porque Todos os Dias são Dias da Terra.

Vamos trabalhar antes que seja tarde!

Tarde para nós e tarde para a nossa casa: a justa e generosa Terra!


   
Foto retirada de Bloggers Unite . . .

18 de abril de 2010

Affordable Luxury . . .

Já por duas vezes mencionei em posts o empreendimento imobiliário Casas da Fonte! Pelas melhores razões, este empreendimento é referenciado em sites internacionais de arquitectura e design e tem vindo a ser alvo de artigos em revistas como a Volt e a House Traders!


As Casas da Fonte foram também protagonistas de uma série do programa "Mundo Interior" da simpática  Cristina Archer no Porto Canal. Seis decoradores/designers foram desafiados a dar corpo a uma das Casas. Quem viu os programas apercebeu-se da versatilidade dos espaços e porque é que este empreendimento é referência em qualidade, conforto, arquitectura e design.

Deixo-vos com algumas fotos deste empreendimento, agradecendo desde já ao Dr. Couto dos Santos a amabilidade com que autorizou a publicação.:-)









Visitem www.acsinvestimentos.com e vejam porque é que as Casas da Fonte são um "affordable luxury".


E já viram este pôr do sol?

Inseridas numa imensa manta verde, com a Ria de Aveiro no horizonte, as Casas da Fonte são também um "luxo" em termos de localização: no campo, sem indústria, sem confusão e apenas a 7 minutos da entrada do nó de acesso à A1 e à A29, ou seja, bem no Centro do Mundo! Porque deste nó rodoviário, o acesso a qualquer ponto do país e da Europa está a distância da nossa vontade.

14 de abril de 2010

Língua Mirandesa, Lhengua Mirandesa, Léngua Mirandesa


Foto retirada da Wikipédia

"Quem cruzar as ruas de Miranda do Douro, na expectativa de ouvir falar mirandês, poderá não o encontrar com muita facilidade. Com efeito, há cerca de quatro séculos que esta língua terá deixado de se falar na cidade, tornada episcopal em 1545 e alguns antes elevada a sede de comarca, sofrendo, por isso, um forte crescimento económico e demográfico, o que terá contribuído decisivamente para a substituição do mirandês pelo português. Assim, o mirandês viu-se acantonado nos pequenos centros, sendo aí que mais se pode ouvir esta língua, filha do latim e moldada pelas gerações que há muitos séculos habitam o extremo sul do vasto território onde se falou o asturo-leonês. Por outro lado, os seus falantes, cujo número rigoroso é difícil de determinar, sempre se habituaram a falar "grave" (nome dado ao português) na presença de forasteiros, reservando o mirandês para situações mais intimistas. Mas o mirandês está a regressar serenamente à cidade. (...) Por outro lado, é a cidade que agora se orgulha de ostentar a toponímia em mirandês, colocando igualmente painéis informativos, diante dos seus monumentos mais emblemáticos, na língua que é também sua."

"A língua mirandesa, ou mirandês, é uma língua românica do grupo linguístico asturo-leonês, com o estatuto de língua oficial em Portugal. É falada por cerca de quinze mil pessoas no concelho de Miranda do Douro e em três aldeias do concelho de Vimioso, num espaço de 484 km², estendendo-se a sua influência por outras aldeias dos concelhos de Vimioso, Mogadouro, Macedo de Cavaleiros e Bragança. O mirandês tem três dialectos (central ou normal, setentrional ou raiano, meridional ou sendinês); os seus falantes são em maior parte bilingues ou trilingues, pois falam o mirandês e o português, e por vezes o castelhano."

 
"O mirandês é ameaçado actualmente pelo desenvolvimento, a vida moderna, a televisão, e as pressões do português e do castelhano. Em sua defesa, foram tomadas as medidas:
- Ensino em mirandês, como opção, nas escolas do ensino básico do concelho de Miranda do Douro, desde 1986/1987, por autorização ministerial de 9 de Setembro de 1985.
- Publicação de livros sobre e em mirandês, pela Câmara Municipal de Miranda do Douro.
- Realização anual de um festival da canção e de um concurso literário, pela Câmara Municipal.
- Uso do mirandês em festas e celebrações da cidade e, ocasionalmente, nos meios de comunicação social.
- Publicação de dois volumes da série de banda desenhada Asterix.
- Tradução de todas as placas toponímicas da cidade de Miranda do Douro, efectuada em 2006 pela Câmara Municipal
- Estudo por centros de investigação portugueses como o centro de linguística da Universidade de Lisboa com o projecto "Atlas Linguístico de Portugal", e a Universidade de Coimbra, com o "Inquérito Linguístico Bolêo".
- Criação de uma Wikipédia em Mirandês, a Biquipédia.
- Disponibilização de sítios em Mirandês, entre eles hi5, Photoblog e WordPress em Mirandês."


Pois é! As terras de Miranda do Douro e Vimioso são um verdadeiro tesouro nacional:-) Vale mesmo a pena escapar-se uns dias e ver com os próprios olhos tudo o que este bocado de Portugal oferece! Já agora, no site da Câmara Municipal de Miranda do Douro está anunciada uma Feira Medieval para os dias 28, 29 e 30 de Maio! Oportunidade perfeita para começar a aprender mirandês!


 
Para os mais curiosos, fica aqui o link para o La Tulla; na minha opinião, um dos melhores sites que encontrei sobre a língua mirandesa e tudo o que está à sua volta ...

E para terminar este post, não podia deixar de desejar a todos os que por aqui passam, continuação de uma boa semana!

E claro, em mirandês,

A todos ls que por eiqui passan, cuntinaçon dua buona sumana!

11 de abril de 2010

Jen Stark: Esculturas de Cor

"Burst" de Jen Stark

 
"Cylinder: Paper Cut" de Jen Stark


"Primaries: Red" de Jen Stark

Nos meus passeios pela web, encontrei um artigo/entrevista, no fantástico PingMag sobre a obra da artista Jen Stark. O que este talento faz com cartolinas coloridas é de uma beleza esplendorosa! A Jen utiliza o x-acto para cortar cada uma das folhas com que vai construindo a escultura!!!! Precisão ao máximo! Espreitem o artigo e encantem-se com os trabalhos!

8 de abril de 2010

"Uma rede muito, muito especial"


Hoje tornei-me Amiga de uma Rede Muito Especial: Pais em Rede!

Esta Rede é um movimento cívico constituído por  Famílias e Amigos das pessoas portadoras de deficiência e que defendem  a verdadeira realização e inclusão dessas pessoas com necessidades especiais.

O  Manifesto do Movimento é um documento impressionante: põe a nú a realidade das pessoas portadoras de deficiência no nosso pais, MAS também é um manifesto de esperança e de força para que se mude o que está mal e se melhore o que está menos mal!

Visitem o site www.paisemrede.net, e associem-se a uma Causa de Esperança para Todos. Porque é importante divulgar, mostrar e agir. Porque o mundo é de todos e tem que ser usufruido por todos.

Invista 10 minutos do seu tempo, leia os testemunhos, conheça as actividades e ajude: enriquece a sua visão do mundo, não implica custos e dá força a uma Rede Muito, Muito Especial!
 

7 de abril de 2010

Porque é que ...?

Como quaisquer crianças, os meus filhotes são ávidos por respostas a questões que tenham "porque é que ...?" na sua formulação! Confesso que também sou:-)
Passamos então o serão de hoje  à volta do livro " O Grande Livro das 555 Perguntas" das Edições Asa.


Estivemos a passear nas várias secções do livro e vamos deixar aqui alguns extractos para que também possam satisfazer a vossa curiosidade.

"Porque é que as bananas têm forma curva?

As bananeiras crescem sobretudo em climas quentes e húmidos. (...) Na bananeira, nasce primeiro uma flor escura tão grande e tão pesada que cresce em direcção ao chão, e os frutos nascem todos juntinhos e em volta da flor. No entanto, esses pequenos frutos não crescem para baixo; orientam-se, isso sim, para a luz, ou seja, inclinam-se para cima, e daí a sua forma curva."


"Porque é que as pessoas ficam com o cabelo branco?

O cabelo das pessoas mais novas contém um pigmento que lhes dá cor - a melanina. Com o passar do tempo, este pigmento deixa de ser produzido pelo corpo e, em substituição, armazenam-se no cabelo minúsculas vesículas que reflectem a luz incidente. É por isso que o cabelo de muitos adultos mais velhos é branco."

"Como é que as moscas conseguem correr no tecto?

As moscas têm, em cada uma das suas seis patas, pequenas ventosas que pressionam contra a superfície plana. Ao correr, a mosca levanta 3 patas ao mesmo tempo e segura-se com as outras três, pelo que consegue deslocar-se num tecto sem problemas."

"Porque é que o Sol, quando se põe, fica vermelho?

A cor do Sol é sempre a mesma, disso não há dúvida, mas ao final da tarde, quando o Sol já está muito baixo, a luz é reflectida de outra maneira. O caminho que a luz tem que percorrer através da atmosfera é agora mais longo e a cor que consegue ir mais longe é o vermelho."

E no livro há mais 551 perguntas e respostas para satisfazer a curiosidade de todos!

5 de abril de 2010

São Vicente Ferrer, Santo do dia 5 de Abril . . .


"Em 1340 o pai de Vicente, Guilherme Ferrer casou-se com Constância Miguel, cuja família também tinha sido integrada na nobreza durante a conquista de Valência. Vicente foi o quarto filho do casal. Um seu irmão, Bonifácio Ferrer, foi Superior dos frades Capuchinhos e realizou importantes missões diplomáticas para o antipapa Bento XIII.



Vicente foi educado em Valência e completou os estudos em filosofia quando tinha quatorze anos. Em 1367 entrou na Ordem Dominicana e no ano seguinte foi enviado para a casa de estudos de Barcelona. Em 1370 ensinou filosofia em Lérida. Um dos seus alunos foi Pierre Foulup, posteriormente Grande Inquisidor em Aragão.



Em 1373 São Vicente regressa ao "Studium arabicum et hebraicum" dos Dominicanos em Barcelona. Em 1377 foi enviado a Tolosa para prosseguir os seus estudos. Em 1379 Vicente trabalhou com o Cardeal Pedro de Luna, legado da Corte de Aragão e futuro antipapa Bento XIII, e que trabalhava para obter a obediência do Pedro IV para com Avinhão. Totalmente convencido da legitimidade dos argumentos dos pontífices de Avinhão, foi um dos seus maiores entusiastas. De 1385 a 1390 ensinou teologia na escola da Catedral de Valência.



Em Salamanca, a rainha Yolanda de Aragão escolheu-o por confessor, entre 1391 e 1395. Durante esse período foi citado pela Inquisição por pregar publicamente que «Judas fez penitência». No entanto o seu protector, Pedro de Luna, recentemente nomeado antipapa Bento XIII, chamou o caso a si e queimou os documento do processo. Bento XIII chamou-o a Avinhão e nomeou-o seu confessor, tendo, mais tarde Vicente recusado ser nomeado cardeal.



Durante os vinte anos seguintes, São Vicente Ferrer percorreu toda a Europa pregando, afirmando em especial a necessidade de conversão por causa do juízo final. Foi canonizado pelo Papa Calisto III na igreja dominicana de Santa Maria Sopra Minerva, em Roma, a 3 de Junho de 1455."

Texto e imagem in Wikipédia



Se quiserem saber qual o santo do dia visitem o site www.santododia.com.br.

2 de abril de 2010

Se na Páscoa há Ovos ...


Inevitavelmente a pergunta teria que surgir!

- " Ó mamã, se na Páscoa há Ovos porque é que há Coelhinhos da Páscoa e não há Galinhas da Páscoa?" - A lógica associativa de uma criança de 4 anos é "mortífera":-)

-" A mamã não sabe muito bem responder-te!!! Vamos procurar?"

E foi num passeio pela web que encontrei alguma "luz" sobre esta questão tão pertinente!

Na wikipédia, encontramos algumas notas sobre a tradição do Coelhinho da Páscoa!

"...foi trazida para a América pelos imigrantes alemães, entre o final do século XVII e o início do século XVIII. No Antigo Egito, o coelho simbolizava o nascimento e a nova vida. Alguns povos da Antiguidade consideravam o coelho como o símbolo da Lua, portanto, é possível que ele tenha se tornado símbolo pascoal devido ao fato de a Lua determinar a data da Páscoa. O certo é que os coelhos são notáveis por sua capacidade de reprodução, e geram grandes ninhadas, e a Páscoa marca a ressurreição, vida nova, tanto entre os judeus quanto entre os cristãos. Existe também a lenda de que uma mulher pobre coloriu alguns ovos de galinha e os escondeu, para dá-los a seus filhos como presente de Páscoa. Quando as crianças descobriram os ovos, um coelho passou correndo. Espalhou-se, então, a história de que o coelho é que havia trazido os ovos."

Como o pequeno curioso continuava com uma expressão de alguma perplexidade, decidi procurar mais e acabei por encontrar no site Rumo do Girassol o conto lituano " A velhinha, a galinha e os ovos de Páscoa".


" Numa pequena aldeia, havia uma pequena casa. Nesta casa morava uma velhinha. Ela criava uma galinha e um coelho. A galinha tinha seu ninho embaixo da escada e lá botava seus ovos. O coelho vivia solto pelo gramado que circundava a casa. A galinha cacarejava toda vez que botava um ovo, e a velhinha corria para recolher o ovo que a galinha botava e a alimentava com boa comida.  A velhinha gostava muito da carijó, que tinha a crista vermelha, as patinhas amarelas e as penas coloridas.. Gostava também do coelho, que tinha o lábio partido, as orelhas bem grandes e o pelo branco bem fofinho.  
Certo dia, a velhinha escuta a galinha cacarejando tão alto e tão feliz: -- Botei, botei, botei! Até o coelho assustou-se e ficou com as orelhas em pé.
A velhinha desceu bem rápido os degraus da escada, abaixou-se e viu no ninho um ovo bem grande, com manchas multicoloridas. Era tão lindo que ela não cansou de admirá-lo.
Com muito cuidado pegou-o e levou-o para a cozinha. Ficou pensando o que faria com ele. Não podia come-lo, pois era muito bonito e também não podia deixa-lo como enfeite, pois poderia cair e quebrar-se.
O coelho que estava ao seu lado, disse-lhe: --E se der de presente para uma criança? A Páscoa está chegando e com certeza quem recebe-lo ficará muito feliz.
A idéia é boa, respondeu a velhinha, porém para qual criança? Eu conheço tantas. Ela pensou um pouco e exclamou: --Já sei, vou juntar muitos ovos da galinha carijó e depois de pintá-los vou presentear todas as crianças. Saltitando e feliz, o coelho dizia: -- Eu também vou ajudar a pintar. Assim dito, assim feito.
A galinha carijó botou muitos ovos. A velhinha recolheu-os numa cesta de vime e junto com o coelho branquinho, pintou-os. Ficaram tão bonitos. Multicoloridos. Vermelhos, verdes, azuis, amarelos, roxos. Alguns listrados., outros com bolinhas e até com flores. No domingo de Páscoa, a velhinha os colocou numa bela cesta e o coelho branquinho distribuiu-os para todas as crianças da aldeia. "


E no final da investigação, veio o veredicto final: "- Eu sabia que havia Galinhas da Páscoa! Os coelhinhos são (ênfase no só!!!!) os que entregam!"

Pois... porque será que tenho a certeza que a investigação não vai ficar por aqui?:-)


Boa Páscoa! Com Ovos, Amêndoas, Coelhinhos e Galinhas!

1 de abril de 2010

Dia das Mentiras!




" Há muitas explicações para o 1 de Abril ter se transformado no Dia das Mentiras ou Dia dos Bobos. Uma delas diz que a brincadeira surgiu na França. Desde o começo do século XVI, o Ano Novo era festejado no dia 25 de Março, data que marcava a chegada da primavera. As festas duravam uma semana e terminavam no dia 1 de Abril.



Em 1564, depois da adoção do calendário gregoriano, o rei Carlos IX de França determinou que o ano novo seria comemorado no dia 1 de janeiro. Alguns franceses resistiram à mudança e continuaram a seguir o calendário antigo, pelo qual o ano iniciaria em 1 de abril. Gozadores passaram então a ridicularizá-los, a enviar presentes esquisitos e convites para festas que não existiam. Essas brincadeiras ficaram conhecidas como plaisanteries.



Em países de língua inglesa o dia da mentira costuma ser conhecido como April Fool's Day ou Dia dos Tolos, na Itália e na França ele é chamado respectivamente Pesce d'Aprile e Poisson d'Avril, o que significa literalmente "Peixe de Abril".



No Brasil, o 1º de Abril começou a ser difundido em Minas Gerais, onde circulou "A Mentira", um periódico de vida efêmera, lançado em 1º de abril de 1848, com a notícia do falecimento de Dom Pedro, desmentida no dia seguinte. "A Mentira" saiu pela última vez em 14 de Setembro de 1849, convocando todos os credores para um acerto de contas no dia 1º de Abril do ano seguinte, dando como referência um local inexistente."

in Wikipédia
 


"Não é bom dizer mentiras;
mas quando a verdade puder trazer uma terrível ruína,
então dizer o que não é bom também é perdoável."
Sófocles