22 de abril de 2011

DIY Ovos de Páscoa

Ainda tem algum tempo para fazer uns Ovos de Páscoa para a decoração da mesa do próximo Domingo!.-)

Aprenda a fazer aqui!


Indicações aqui!


Aprenda a fazer aqui!


Aprenda a fazer aqui!


Votos de uma Santa e Doce Páscoa :-)

17 de abril de 2011

O Cognome do Rei (III - Dinastia Filipina)


Chegou a altura de falar da 3ª Dinastia:-)

Dinastia Filipina (1581 - 1640)

D. Filipe I, O Prudente
(Pela prudência com que conduziua sua "entrada" no reino e nas estratégias que se seguiram).

D. Filipe II, O Pio
(Não há muita informação sobre a razão do cognome do Rei. Supõe-se que estará relacionado com um carácter dócil e benevolente.)

D.Filipe III, O Grande
(Reinou durante 44 anos. A longa duração do reinado e a sua robusta compleição física valeram-lhe os cognomes O Gordo e El Grande.)

E daqui a uns dias voltamos com a Dinastia Brigantina.

12 de abril de 2011

Lenda das "Águas de Almofala"


"Almofala foi em tempos terra de Mouros como o indica o significado do seu nome em árabe: "hoste ou arraial de Mouros". Nesses tempos longínquos vivia em Almofala uma jovem muito bela chamada Salúquia que a todos fascinava e trazia presos aos seus caprichos, em completa submissão.

Até que um dia um novo governador árabe jovem, bonito e altivo veio chefiar aquela região e a todos pediu obediência completa na organização da defesa na luta contra os cristãos. Todos baixaram as cabeças, excepto Salúquia que, habituada a não obedecer e a ser obedecida, lhe perguntou se ela também teria de obedecer.

O governador inteirando-se do estranho poder de Salúquia, disse-lhe que se não obedecesse seria castigada. Desafiadora, Salúquia disse que se ele ousasse castigá-la seria amaldiçoado e, perante o ousado desafio, o governador mandou que lhe dessem seis vergastadas. Passou algum tempo, durante o qual as invasões cristãs não davam descanso ao governador que, de repente, começou a padecer de dores estranhas que nem os melhores físicos conseguiam curar. Era a maldição de Salúquia que começava a fazer efeito.

Os cristãos estavam agora já nos arredores de Almofala confrontando-se com os mouros. Salúquia que o castigo tinha amargurado andava pelos campos, vagueando sozinha. Foi então que encontrou um cristão velho e ferido que lhe pediu ajuda. Salúquia recusou porque iria contra as ordens do governador. Quando o cristão lhe perguntou se o governador era cruel, Salúquia surpreendeu-se a si própria ao dizer que era apenas justo.

Nesse momento, surpreenderam-na o tom da sua voz e a emoção que sentiu. Foi então que o cristão lhe disse o que o seu Deus lhe tinha dito: apesar de ter amaldiçoado o governador Salúquia amava-o e, pelo seu lado, o governador também a amava e nunca a tinha esquecido. Se Salúquia o ajudasse, o Deus dos cristãos também a ajudaria a reparar o mal que tinha feito com a sua maldição.

A pedido do ferido, Salúquia levou-o a uma fonte próxima e verificou com espanto que as suas águas lhe saravam as feridas. Nesse momento, Salúquia e o cristão ouviram os passos de um cavalo que se aproximava: era o governador que quando os viu se apeou do cavalo.

As dores fortes que sentia interromperam as suas primeiras recriminações. Salúquia deu-lhe a beber a água da fonte e começou a chorar, dizendo-lhe que era capaz de dar a vida por ele. O governador, curado das suas dores, abraçou-a e disse-lhe que a amava desde o primeiro momento que a tinha visto, mas o orgulho de ambos os tinha afastado.

O cristão desapareceu e Salúquia e o governador viveram felizes para sempre. Mais tarde, quando aquelas terras foram conquistadas pelos cristãos, foram ambos baptizados. As águas de Almofala continuam ainda hoje, diz o povo, a manter os seus incríveis poderes curativos."



1 de abril de 2011

O Cognome do Rei (II - Dinastia de Avis)


Continuamos com a "aventura" dos cognomes dos Reis do Reino ;-)

Dinastia de Avis (1385 - 1580)

D. João I, O de Boa Memória
(Pelo lembrança positiva que deixou na memória dos portugueses. Homem culto, arguto e benevolente. Foi durante o seu reinado que se iniciou a expansão portuguesa e a grande epopeia dos Descobrimentos.)
[ Em pleno século XXI... como precisamos de outro D.João I !!!!!!!!!!!!!!]


D. Duarte, O Eloquente
(Pelo seu interesse pela cultura e pelas obras que redigiu: "O Leal Conselheiro" e o " Livro da Boa Ensinança de Cavalgar Toda a Sela")


D. Afonso V, O Africano
(Pelas conquistas no Norte de África)

D. João II, O Princípe Perfeito
(Pela forma como exerceu o poder, pois foi graças às medidas que implementou que o Reino entrou na sua "Época de Ouro".)


D. Manuel I, O Bem-Aventurado
(Pelas felizes circunstâncias que o levaram ao trono! D. Manuel era primo de D. João II e foi seu protegido; o que na ausência de herdeiros de D.  João II, lhe traria a sorte de ser indicado para a sucessão.)


D. João III, O Piedoso
(Pela sua devoção religiosa.)


D. Sebastião I, O Desejado
(Por ser o herdeiro esperado da Dinastia de Avis. Desaparecido na Batalha de Álcacer-Quibir, inicia-se uma crise dinástica que permite a perda da independência para a dinastia Filipina. D. Sebastião é o "Rei Artur" dos portugueses, pois conta a lenda que um dia voltará!)


D. Henrique I, O Casto, O Cardeal-Rei
(Devido à sua função eclesiástica que o impediu de ter descendência legítima.)


E para a semana cá teremos a Dinastia Filipina :-)