25 de março de 2012

Ovos Fabergé

"Os Ovos Fabergé são obras-primas da joalharia produzidas por Peter Carl fabergé e seus assistentes no período de 1885 a 1917 para os czares da Rússia. Os ovos, cuidadosamente elaborados com uma combinação de esmalte, metais e pedras preciosas, escondiam surpresas e miniaturas e eram encomendados e oferecidos na Páscoa pelos membros da família imperial. Disputados por colecionadores em todo o mundo, os famosos Ovos de Páscoa criados pelo joalheiro russo são admirados pela perfeição e considerados expoentes da arte joalheira. (...)"

(Ovo Tsarevich - 1912)


"Dos 65 conhecidos ovos Fabergé grandes, apenas 57 existem até hoje. Dez dos Ovos Imperiais de Páscoa estão expostos no Palácio do Arsenal em Moscovo, Rússia.  Dos 50 Ovos Imperiais, só 42 sobrevivem. Dos oito ovos Imperiais desaparecidos, há fotos apenas de dois; um de 1903, o da Realeza da  Dinamarca, e um de 1909, comemorativo de Alexandre III da Rússia. Um único dos Ovos da “Ordem de St. George”” feitos em 1916, foi tirado da Rússia Bolchevique pela Imperatriz Consorte Dagmar da Dinamarca.
Após a Revolução Russa de 1917 a ‘’Casa Fabergé’’ foi nacionalizada pelos bolcheviques, a família Fabergé fugiu para a Suíça, onde Peter Carl Fabergé faleceu em 1920. Todos os palácios da  dinastia Romanov foram saqueados e os seus tesouros foram removidos por ordem de Lenine e levados para o Palácio do Arsenal do Kremlim.
Visando obter moedas estrangeiras, Estaline vendeu diversos Ovos Fabergé em 1927.  Entre 1930 e 1944, quatorze dos Ovos Imperiais deixaram a Rússia. Muitos dos ovos foram comprados por ‘’Armand Hammer’’, presidente da Occidental Petroleum e amigo pessoal de Lenine e cujo pai havia fundado o Partido Comunista do EUA e também por ‘’Emanuel Snowman’’ da ‘’Wartski’, famosos antiquários de Londres.

(Ovo Pedro O Grande, 1903)

Depois da coleção do Palácio do Arsenal do Kremlim, o maior acervo dessas jóias foi colecionado por Malcom Forbes e exposto em Nova Iorque. Num total de nove Ovos e mais cerca de 180 outras peças feitas por Fabergé, a coleção foi colocada em leilão na Sotheby's em fevereiro de 2004 pelos herdeiros de Forbes. Antes mesmo do início do leilão, toda a coleçao foi comprada pelo magnata e oligarca russo da era pós-soviético Victor Vekselberg  por uma soma da ordem de 90 a 120 milhões de dólares."
( Fonte: Wikipédia)
( Ovo Imperial Transiberiano, 1910)

Muita informação sobre Fabergé, a sua arte, as suas jóias pode ser encontrada aqui.

1 comentário:

Álbum da Artesã disse...

Querida Ana,
Afilhadinha de meu ♥
Estes ovos estão na mesma percepção dos brioches

Aff... ambos levaram à morte de dinastias ... nééé?

Ambos 'estigmatizados' nas imperatrizes ou czarinas (de Cesar = Rei = Keiser = Czar ..)
Aliás, Cesar e Augusto são títulos ... afff ... de novo ...
divagações do que me lembro sobre meus estudos na História.

De qualquer forma, estas jóias, são hoje cobiça de todos, até em filmes de Hollywood.

Bj♥ enorme pra tu

Meu mail entupiu, entro em contato

+ Bj♥s