9 de julho de 2012

Crafts 4 Summer Days


Feltro e botões:-) Muito fáceis de fazer, estes bouquets coloridos são uma opção fantástica para ocupar os tempos livres com as crianças! O tutorial está aqui:-)



E porque não fazer alguns postais para os futuros aniversários ou mesmo para o próximo Natal? Cartolinas, papel e restos de rendas e galões são as matérias-primas ideais para cartões inesquecíveis! Tutorial aqui :-)



Reciclar é sempre a melhor opção! Rolhas de cortiça velhas e um bocadinho de imaginação é o que precisa para fazer belas bases de mesa para quentes:-) Substitua a abraçadeira por galões ou rendas e dê um toque shabby à sua base:-) Tutorial aqui



E transformar taças de vidro sem graça em peças decorativas divertidas? Estas taças "confetti" são muito fáceis de fazer! Pode até convidar os mais novos para a sessão de pintura:-) Tutorial aqui :-)


3 de julho de 2012

"Deu-la-Deu Martins"

(Estátua de Deu-la-Deu em Monção)

"Uma imagem de mulher, segurando um pão em cada mão do alto de uma torre, figura no brasão de Monção com a legenda: Deus a deu - Deus o há dado. 

Esta é uma homenagem à coragem e astúcia de uma grande heroína, Deu-la-Deu Martins, mulher do capitão-mor de Monção, Vasco Gomes de Abreu. Esta mulher singular viveu no século XIV, no tempo das guerras entre D. Fernando de Portugal e D. Henrique de Castela. 

Foi nesta conjuntura que o galego D. Pedro Rodriguez Sarmento pôs cerco a Monção com um poderoso exército, aproveitando a ausência temporária do seu capitão-mor. A vila aguentou o cerco sob o comando de Deu-la-Deu Martins, apesar da escassez de alimentos. 

Mas a situação chegou a um ponto de desespero e foi então que Deu-la-Deu, com um sangue-frio notável, mandou fazer alguns pães da pouca farinha que restava. Deu-la-Deu subiu com os pães à muralha e atirou-os aos sitiantes, gritando-lhes que como abundavam as provisões na cidade e dada a duração do cerco, os galegos poderiam precisar de alimento. 

O inimigo também estava cheio de fome e pensando que o cerco ainda poderia demorar mais tempo, decidiu retirar para Espanha. Este feito ficou para sempre na memória dos portugueses e deu origem ao costume dos vereadores do município se dirigirem ao túmulo de Deu-la-Deu, quando tomavam posse dos seus cargos, prestando-lhe homenagem."