25 de julho de 2013


Por manifesta falta de tempo irei colocar o Memory Box em Pausa!
Deixo aqui um agradecimento a todos os que por aqui vão passando e 
passeando nesta caixa de recortes:-)

Ainda não sei quando conseguirei voltar.... 
no entanto, o blogue continuará em modo disponível até ao meu regresso:-)

Votos de um magnífico verão com muitos "recortes" para guardarem 
nos vossos álbuns de memórias e saudades !

28 de março de 2013

Folar da Páscoa

E com o Domingo de Páscoa a chegar a passos largos fica aqui uma das receitas do 
Folar de Páscoa!





Ingredientes:

800 g de farinha
100 g de margarina
35 g de fermento de padeiro
250 g de açúcar
3 ovos
2 dl de leite morno
sal, canela e erva-doce q.b.
3 ou 4 ovos cozidos para enfeitar o folar



Preparação:

1. Dissolva o fermento num pouco de leite morno e junte alguma farinha.Faça uma bola bem húmida e deixe levedar 20 minutos.
2. Amasse a restante farinha com o açúcar, o leite e os ovos e junte a bola de fermento.Bata bem.Acrescente a manteiga, o sal e as especiarias.
3. Bata até a massa se soltar da tigela.Deixe levedar numa tigela tapada com 1 cobertor, em local protegido e ameno, durante + ou – 3 horas.
4. Faça então uma bola ligeiramente abolachada, onde coloca os ovos previamente cozidos e frios.Com um pouco de massa faça uns cordões que coloca a rodear os ovos.
5.Pincele com gema de ovo, deixe levedar mais 1 pouco e leve a forno quente (200ºC) até ficar bem corado e cozido.
in "http://www.tentacaodosabor.com/receita-de-folar-de-pascoa/"



Simples, com compota ou uma bela fatia de queijo da Serra, o Folar da Páscoa sabe sempre tão bem :-) E não se esqueça de um reconfortante chá para acompanhar :-)


26 de fevereiro de 2013

As Arcas de Montemor





"Já diziam os antigos que no castelo de Montemor-o-Velho estão enterradas duas arcas, uma cheia de ouro e a outra cheia de peste. A sua origem remonta ao tempo dos Mouros quando era alcaide naquela cidade um viúvo austero que tinha uma única filha, a quem guardava longe dos olhos de todos como se fosse o maior tesouro do mundo. 

Um dia, quando a jovem era já uma mulher, um dos seus fiéis cavaleiros apaixonou-se por ela mas o alcaide nem queria ouvir falar de tal possibilidade. Quando o cavaleiro insistiu, o alcaide resolveu prendê-lo e condenou-o à morte. Quando a jovem soube da tragédia em que involuntariamente estava envolvida, ainda tentou interceder mas o pai permaneceu insensível às suas súplicas. 

A jovem que até então não fazia ideia do grande amor que o cavaleiro lhe dedicava, resolveu visitá-lo em segredo nas masmorras. Este amor devia estar já talhado no livro do destino, pois a jovem logo se apaixonou pelo cavaleiro e ambos fugiram do castelo.


A sua captura foi fácil e quando foram levados perante o irrascível alcaide, este ainda ficou mais furioso quando soube que a sua filha tinha casado com o cavaleiro. Então, por vingança, resolveu dar-lhes uma prenda maldita: duas arcas, uma com ouro e a outra com peste. 

Os jovens que prezavam mais a sua vida e o seu amor que todo o ouro do mundo fugiram do louco alcaide, deixando para trás as duas arcas que nunca ninguém ousou abrir e que ainda hoje estão enterradas nas muralhas do castelo de Montemor-o-Velho."

in http://lendasdeportugal.no.sapo.pt/distritos/coimbra.htm

31 de janeiro de 2013

Máscaras Venezianas . . .















Pelos meus passeios pela web encontrei algumas fotos com Máscaras Venezianas cuja beleza, riqueza de detalhe e delicadeza do traço me fizeram "parar" para ver com olhos de ver! Este famoso acessório carnavalesco é, muito provavelmente, o acessório  mais belo dos Carnavais.